Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Rinite. Causas, sintomas e tratamento (Guia Completo)

Data

6 ● dezembro ● 2018
Saúde de A a Z

Saiba mais sobre a doença que causa alergias e incômodo no dia a dia.

Aquela crise de espirros e coceira no nariz e garganta costumam atacar você de forma frequente? Pode ser Rinite. A rinite é uma alergia, um tipo de reação imunológica que atinge o sistema respiratório quando se entra em contato ou inala partículas e substâncias com alérgenos.

 

A Rinite pode causar diversos problemas no dia a dia da pessoa, mas pode ser controlada através de medicamentos e principalmente com o cuidado e limpeza do ambiente e também por meio das vacinas.

 

Aqui você vai saber um pouco mais sobre a rinite, suas causas, complicações, tratamentos e como conviver.

Saiba mais sobre outro tipo de alergia, a Dermatite

 

O que é Rinite alérgica?

A rinite alérgica é uma queixa constante nos consultórios, ela é uma reação imunológica do corpo a partir de inalação de partículas que são consideradas estranhas, os chamadas alérgenos.

Crises de espirros são um dos sintomas da rinite

A pessoa alérgica desenvolve uma reação exagerada aos alérgenos e seu sistema imunológico reage de forma intensa a estas substâncias estranhas na tentativa de defesa do organismo.

 

Segundo a ASABAI – Associação Brasileira de Alergologia e Imunologia, a alergia, não significa falta de defesa do organismo, pelo contrário, é uma defesa exagerada contra agentes que não são potencialmente agressivos ao ser humano. Ou seja, uma pessoa alérgica é aquela que é hiperreativa a determinada substância que para uma pessoa normal não despertaria nenhuma resposta.

Quando surge uma crise da rinite, a pessoa pode apresentar obstrução nasal, coriza, espirros e coceira no nariz. É caso a pessoa tenha predisposição para asma, pode desencadear também uma crise de asma, apresentando falta-de-ar e cansaço.

 

O nariz é a porta de entrada para o ar durante a respiração, tem a função de filtrar as impurezas, além de umidificar e aquecer o ar que vai chegar aos pulmões, as substâncias estranhas costumam ultrapassar essas barreiras e entrar no nariz começando assim a desencadear a crise.

A alergia pode ser gerada a partir de um componente genético, isso ocorre quando ambos os pais tem rinite,  e nessa condição a chance de os filhos desenvolverem o problema chega a 50%.

 

Quando uma pessoa tem essa predisposição e entra em contato com um alérgeno, passa a reagir  a ele e não mais tolerar o contato, desenvolvendo as crises. Essa reação pode acontecer nos primeiros anos de vida, mas pode se desenvolver com o avanço da idade.

 

Causas da Rinite

A rinite não tem uma causa específica, várias substâncias presentes no meio ambiente são alergênicas, algumas delas mais predominantes são a poeira, o pólen e certos tipos de alimentos e produtos.

 

A poeira doméstica é a principal responsável por provicar rinite em São Paulo e em boa parte do Brasil. Nesta poeira estão presentes vários componentes, como restos de pelos de animais, descamação da pele humana e de animais, restos de insetos, bactérias, fungos e ácaros.

 

Os ácaros são microorganismos que se adaptam muito bem ao ambiente domiciliar e costumam circular e se  proliferar com facilidade em temperatura ambiente e locais úmidos.

 

O tipo de ácaro que mais causa a rinite alérgica é o Dermatophagoides spp. Seu nome deriva do fato de ele se alimentar de material orgânico da pele do homem, de animais e fungos. Por conta disso eles costumam se acumular em colchões e estofados.

 

São as proteínas presentes no corpo e nas fezes dos ácaros que são extremamente alergênicas e provocam as crises nas pessoas predispostas à rinite. Os sintomas não tem um período específico  para aparecer e podem surgir durante todo o ano.

 

O contato com pólen das flores é outra causa que pode provocar a rinite. Essa forma ocorre em geral na primavera e no início do outono, quando o pólen transportado pelo ar se encontra em níveis maiores.

O pólen das flores é um dos alérgenos que podem provocar a rinite

 

O pêlo de animais também pode desencadear as crises de rinite, portanto se você tem rinite é ideal que não tenha animais que soltem pêlos em casa para evitar o desencadeamento das crises.

Outra causa da rinite podem ser as alergias alimentares. Esse tipo é menos frequente e, em geral, provoca outros sintomas além da rinite, coceira e inchaço na pele e alterações no sistema gastrointestinal. Embora qualquer alimento possa causar uma reação alérgica, os mais propícios a desencadear as reações são leite de vaca, ovo, soja, trigo, peixe e crustáceos.

 

Fatores de risco da Rinite

Existem alguns fatores que podem predispor as pessoas a apresentarem crises de rinite, entre eles estão:

  • Pessoas com outras doenças alérgicas, como asma, eczema (dermatite) e a conjuntivite alérgica, tem um risco maior para desenvolver esse tipo de rinite;
  • Possuir familiares com histórico de alergias;
  • Frequentar locais mal ensolarados e mal ventilados;
  • Poluição do ar;
  • Locais com objetos que concentrem ácaros como cortinas, carpetes, pelúcias e até mesmo a convivência com animais que soltam muito pêlo.

 

Sintomas de Rinite alérgica

A rinite alérgica tem alguns sintomas característicos que surgem logo após a pessoa entrar em contato com o alérgeno. Os principais sintomas que costumam se manifestar provocando as crises de rinite são:


A rinite também costuma atacar os olhos provocando vermelhidão e irritação.
  • Irritação no nariz, na boca, nos olhos, na garganta, na pele ou em qualquer outra região;
  • Problemas com cheiros e odores;
  • Coriza;
  • Espirros;
  • Lacrimejamento nos olhos;

 

Alguns sintomas da rinite alérgica não se apresentam de forma imediata, mas podem se apresentam ao longo de horas. Entre eles estão:

  • Congestão nasal
  • Tosse
  • Redução da audição e diminuição do olfato
  • Dor de garganta
  • Olheiras
  • Olhos inchados
  • Fadiga e irritabilidade
  • Cefaleia

 

Diagnósticos e exames

Ao sentir um dos sintomas citados e eles persistirem, é importante que você agende uma consulta com um médico. Entre as especialidades que podem diagnosticar uma rinite alérgica estão:

 

Durante a consulta o médico vai fazer algo perguntas sobre os sintomas,  há quanto tempo você vem sentindo e manifestando as reações, e qual a intensidade e frequência que eles aparecem. Ele também faz um exame clínico do nariz, garganta, ouvidos e olhos que comumente costumam ser atingidos pelas crises de rinite.

É muito importante procurar um alergista para fazer o tratamento correto para a rinite.

O médico também pode solicitar alguns exames de sangue para verificar se há compatibilidade alérgica, exames de raio-x dos seios da face para investigar as narinas e os chamados Testes alérgicos. Para a partir do diagnóstico iniciar um tratamento que ajude a melhorar a respiração nasal, além de evitar crises de rinite e infecções como sinusite e otite.

Na consulta médica, o médico pode fazer as seguintes perguntas para ter um diagnóstico mais preciso, entre elas estão:

  • Você tem alergia a alguma coisa?
  • Você faz uso de medicamentos antialérgicos?
  • Quando seus sintomas surgiram?
  • Os sintomas são ocasionais ou frequentes?
  • Você teve contato recente com poeira, pólen ou algum alimento específico?

Relatar os sintomas é muito importante para diagnosticar a rinite alérgica, além de fornecer  outras informações também como a época do ano em que os sintomas mais se manifestam ou se você identifica alguma substância que provocam as crises auxiliam o médico a fazer um diagnóstico  melhor.

O teste de alergias é importante para revelar os alérgenos que desencadeiam os sintomas da rinite. O teste feito na pele, através do contato com pequenas porções de alérgenos que costumam provocar as crises alérgicas. Essas substâncias em contato com a pele provocam pequenos inchaços que mostram o grau da alergia. O exame é feito no próprio consultório médico e é o método mais comum e eficaz para testar e identificar as alergias.

Caso você apresente reação alérgica grave e não possa realizar o teste cutâneo, alguns exames de sangue especiais poderão ajudar no diagnóstico. Esses exames de sangue podem medir os níveis de substâncias específicas relacionadas a alergias, principalmente a imonuglobulina E (IgE), anticorpo produzido pelo organismo contra os alérgenos.

Um hemograma completo também pode ajudar a revelar alergias.

Tratamento de Rinite alérgica

O tratamento para os pacientes portadores de rinite alérgica pode não ser tão simples e é composto por três processos que devem ser seguidos: higiene ambiental, uso de medicamentos e imunoterapia (tratamento com vacinas).

 

Higiene ambiental

O jeito ideal é mais simples de se prevenir de crises de rinite alérgica é evitar o contato com a substância que desencadeia os sintomas. Porém, nem sempre isso é tão fácil. Alguns objetos como  carpetes, cortinas, tapetes e bichos de pelúcia costumam armazenar poeira e ácaros, e não devem fazer parte do quarto. Os ambientes da casa devem estar sempre bem ventilados e ensolarados e a limpeza desse ambiente deve ser feita com pano úmido. Também devem ser evitados contatos com produtos que possuem cheiro forte como produtos de limpeza, tintas, perfumes, fumaça de cigarro e inseticidas.

 

Medicamentos

O uso de medicamentos é um dos métodos de tratar a rinite.

Os medicamentos comumente  usados para tratar as crises de rinite alérgica  são anti-histamínicos nasais e corticosteróides. Os medicamentos à base de corticosteróides aplicados no nariz são prescritos para tratamento a longo prazo, e tem o objetivo de melhorar a respiração nasal e evitar ou amenizar as crises. Como todo medicamento, pode apresentar efeitos colaterais no organismo e a dose varia individualmente, por isso só o médico pode indicar o tratamento correto.

 

Imunoterapia

Esse tratamento consiste no uso de vacinas antialérgicas que também são uma opção para casos em que não houve melhora com as medicações e uma alternativa para casos em que não se pode evitar contato com o alérgeno. A vacina só é recomendada se o teste cutâneo ou sanguíneo comprovar a presença da alergia e do alérgeno.  A vacina pode ser injeções ou gotas sublinguais com quantidades controladas da substância para que o organismo deixe de ser hiperreativo a ela. O objetivo é que, com o passar do tempo, as crises sejam reduzidas e a pessoa consiga até suspender as medicações.

 

As vacinas não estão disponível no calendário de  vacinação e nem tem distribuição gratuita, elas são  vendidas e aplicadas em consultórios médicos.

 

Medicamentos para Rinite alérgica

Alguns medicamentos são usados para o tratamento de rinite alérgica, eles só devem ser prescritos por médicos que indicam a dosagem e período de duração do uso. Entre os medicamentos estão:

Androcortil
Allegra
Allegra Pediátrico
Asmofen
Avamys
Betametasona
Betatrinta
Broncho-Vaxom
Busonid
Celestone
Cetirizina
Celestamine
Celerg
Celergin
Clobutinol + Succinato de Doxilamina
Cetoprofeno
Claritin
Claritin D
Decadron
Decongex
Decongex Plus
Desalex
Desloratadina
Dexametasona
Dexclorfeniramina
Diprospan
Duoflam
Ebastel
Fumarato de Cetotifeno
Fluviral
Fumarato de Cetotifeno (xarope)
Histadin D
Hixizine
Koide D
Loratadina
Loratadina + Pseudoefedrina
Loratamed
Maleato de Dexclorfeniramina (gotas)
Maleato de Dexclorfeniramina + Sulfato de Pseudoefedrina + Guaifenesina
Multigrip
Nasonex
Neosoro
Omnaris
Prednisolona
Polaramine
Prednisona
Maleato de dexclorfeniramina (solução)

É muito importante seguir sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA faça  automedicação .Também evite não interromper o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Como conviver com a rinite

Pessoas que tem problemas de rinite devem evitar  o contato com alérgenos sejam eles com a presença de objetos, animais que soltam pêlos, por meio de cheiros fortes de produtos, cigarro entre outras coisas. Além de  manter sempre os cuidados com a limpeza do ambiente.

Esses são os métodos mais fáceis e eficientes para se prevenir das crises de rinite alérgica. E se você iniciou algum tratamento, não o interrompa por conta própria.

Complicações possíveis da rinite

A Rinite alérgica pode provocar outros problemas de saúde, como:

Otite
Sinusite
Roncos (devido ao entupimento do nariz)
Problemas de sono

 

Rinite alérgica tem cura?

A rinite não tem cura, ela pode ser controlada e grande maioria dos sintomas podem ser tratados. Algumas pessoas (principalmente crianças) podem deixar as crises de alergia quando ficam mais velhas porque o sistema imunológico se torna menos sensível ao alérgeno assim como pode acontecer  o inverso. Entretanto, depois que uma substância desencadeia uma reação alérgica, ela pode continuar afetando a pessoa por um longo prazo.

Como prevenir a rinite

Os sintomas da rinite podem ser prevenidos quando a pessoa evita o contato com os alérgenos conhecidos. Esta é, na verdade, a única forma efetivamente comprovada para evitar o desencadeamento das crises de rinite alérgica.

 

Conclusão

 

A rinite tem tratamento e pode ser controlada se tratada corretamente.

Conhecemos um pouco mais sobre a rinite, uma inflamação que ocorre mucosa nasal provocando alguns sintomas como coceira, crises de espirro e tosse, escorrimento nasal frequente e pode também atingir a garganta e os ouvidos.

A doença normalmente acontece como resultado de alergia à poeira, ácaro ou pêlo de animais, mas pode acontecer como consequência do uso de descongestionantes nasais ou por cheiro de produtos fortes e cigarro.

O tratamento da rinite pode ser feito com a ingestão de medicamentos, mas principalmente com medidas de higienização dos ambientes, mantendo as áreas de convivência sempre limpas e arejadas e também podem ser amenizadas com o uso de vacinas.

 

Na dúvida em qual profissional procurar para cuidar da sua saúde e tratar algum sintoma de rinite que venha sentindo? Procure os profissionais da Cia da Consulta. Aqui você agenda e faz consultas com um clínico geral de forma rápida e prática para ficar longe dos incômodos da rinite.

 

Você conhece alguém que precisa se informar melhor sobre a prevenção de tratamentos de algumas doenças? Então que tal compartilhar esse artigo com amigos e familiares em suas redes sociais? Além disso, veja estes outros 3 artigos com dicas para aumentar a qualidade de vida e cuidar da sua saúde.