Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Gravidez, da fecundação ao parto

Data

11 ● fevereiro ● 2019
Saúde da Mulher

Gravidez, da fecundação ao parto
4 (80%) 1 vote

Saiba tudo o que ocorre durante esse período na vida da mulher.

O resultado do teste ou exame de gravidez deu positivo e você está cheia de dúvidas do que vai acontecer agora com a geração do bebê? Aqui você tem um guia completo de gravidez, da fecundação ao parto para você entender melhor o que acontece com o seu corpo e com o desenvolvimento do feto e levar uma gravidez mais tranquila.

 

Como começa a gravidez?

A gravidez inicia a partir da fecundação. Esse é o nome do momento em que o espermatozoide consegue penetrar no óvulo, originando um ovo ou zigoto. Este vai se desenvolver e formar o embrião, que após se desenvolver irá formar o feto, que ao o nascer é o tão esperado bebê.

 

A fecundação ocorre nas trompas de Falópio e o ovo ou zigoto passa a se dividir enquanto se movimenta até chegar ao útero. Ao encontrar o útero ele se implanta no endométrio uterino e aqui oficialmente ocorre a nidação, (local do ninho) cerca de 6-7 dias após a fecundação.

Como acontece a fecundação

A fecundação humana ocorre com a entrada do espermatozoide no óvulo, na primeira porção da trompa de Falópio, fazendo com que a mulher fique grávida. Quando um espermatozoide consegue penetrar no óvulo, imediatamente a parede desse óvulo forma uma barreira impedindo a entrada de outros espermatozoides.

Um único espermatozoide atravessa sua membrana, carregando consigo 23 cromossomos do homem. Ao fecundar o óvulo, imediatamente esses  cromossomos isolados combinam-se com os outros 23 cromossomos da mulher, passando a formar um complemento normal de 46 cromossomos, dispostos em 23 pares.

Esse é o processo de multiplicação celular, que vai levar a formação de um feto, cujo resultado final é o nascimento de um bebê saudável.

Fecundação in vitro

Chamamos de fecundação in vitro quando o espermatozoide é inserido dentro do óvulo por um médico, em um laboratório específico. Após o médico observar que o zigoto está se desenvolvendo bem, este é implantado na parede interna do útero da mulher, onde poderá continuar se desenvolvendo, gerando um feto até o seu nascimento. Esse processo também é chamado de FIV ou de inseminação artificial.

Sintomas da fecundação

Muitas vezes a mulher não percebe os sintomas da fecundação, mas eles podem ocorrer.

 

Quando a fecundação ocorre, ela passa sinais muito sutis, que normalmente não são percebidos pela mulher, mas eles podem ser uma cólica leve, e um pequeno sangramento ou corrimento cor de rosa, que é chamado de nidação. Na maior parte dos casos, a mulher só percebe os sintomas de gravidez duas semanas após a nidação.

Como acontece o desenvolvimento embrionário

O desenvolvimento embrionário acontece a partir da nidação (como explicamos acima) até a 8ª semana de gestação. É nessa fase que acontece a formação da placenta, do cordão umbilical, e um esboço de todos os órgãos. A partir da 9ª semana de gestação o pequeno ser que está no útero já pode ser chamado de embrião, e após as 12ª semana de gestação é que já está um feto formado e aqui a placenta já se desenvolveu o suficiente para que possa, daí por diante, suprir o feto com todos os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.

Como é formada a placenta

A placenta é um componente materno formado por grandes e múltiplas camadas, por onde flui continuamente o sangue materno para levar oxigenação ao feto.

Os nutrientes difundem desde o sangue materno através da membrana da vilosidade placentária para o sangue fetal, passando pelo meio da veia umbilical para o feto.

Os excretas fetais como o gás carbônico, a ureia e outras substâncias, são difundidas do sangue fetal para o sangue materno e são eliminados para o exterior através das funções excretoras da mãe. A placenta secreta quantidades elevadas de estrogênio e de progesterona, cerca de 30 vezes mais estrogênio do que é secretado pelo corpo lúteo e cerca de 10 vezes mais progesterona.

Esses hormônios são extremamente importantes para o desenvolvimento do feto. Durante as primeiras semanas de gravidez, um outro hormônio também secretado pela placenta, a gonadotrofina coriônica, que estimula o corpo lúteo, fazendo com que continue a secretar estrogênio e progesterona durante a primeira parte da gravidez.

Os hormônios do corpo lúteo são essenciais para o desenvolvimento da gravidez durante as primeiras 8 a 12 semanas. Após esse período, a placenta secreta quantidades suficientes de estrogênio e progesterona para assegurar a manutenção da gravidez.

Sintomas iniciais da gravidez

Enjoo e dor de cabeça são os sintomas iniciais da gravidez que também podem ser acompanhados de outros.

Os primeiros sinais e sintomas de gravidez podem surgir antes mesmo do atraso da menstruação, mas podem ser tão sutis que somente as mulheres que estão muito atentas ao seu corpo ou que estão tentando engravidar podem perceber. Para a maioria das mulheres esses sinais podem passar despercebidos. Os primeiros sintomas que a mulher deve ficar atenta são:

– Corrimento vaginal cor-de-rosa;
– Cólica e inchaço abdominal;
– Mamas sensíveis e inchadas;
– Cansaço fácil;
– Aversão a cheiros fortes;
– Variações de humor;
– Enjôos, vômitos ou salivação excessiva;
– Tonturas, sono e dor de cabeça;
– Aumento da vontade para urinar;
– Espinhas e pele oleosa.

Exames necessários durante a gravidez

A partir da descoberta da gravidez, é necessário iniciar o pré-natal para fazer alguns exames.

 

Toda grávida precisa fazer exames, o chamado período do pré-natal. Esses exames devem ser solicitados pelo médico que acompanha a mulher durante a gestação e, basicamente, incluem exames de sangue, ultrassonografias, exames ginecológicos e de urina, mas existem outros que podem ser solicitados em situações especiais que a grávida esteja passando.

 

Em todas as consultas o obstetra deverá verificar o aumento de peso da gestante, a pressão arterial e o aumento do abdome e indicar o uso de suplementos nutricionais, como ácido fólico e sulfato ferroso para garantir a saúde da mãe e do bebê.

Os exames do primeiro trimestre de gestação são em maior quantidade porque, além de verificar como o bebê está, é importante verificar a saúde da mãe, que é essencial para o bom desenvolvimento do bebê.

 

Já os exames a partir do segundo e do terceiro trimestre de gestação estão mais direcionados para o desenvolvimento do bebê.

1. Hemograma

Exame de sangue que verifica se existe alguma alteração nas células do sangue, infecção ou anemia. Deve ser feito no 1º e no 2º trimestre de gestação.

2. Tipo sanguíneo e fator Rh

Este exame deve ser feito no primeiro trimestre da gestação. Ele verifica o grupo sanguíneo da mãe e o fator Rh , se é positivo ou negativo. Se a mãe tem fator Rh negativo e o bebê fator Rh positivo que herdou do pai, quando o sangue do bebê entrar em contato com o da mãe, o sistema imune da mãe irá produzir anticorpos contra ele, podendo provocar, em uma 2ª gravidez, doença hemolítica do recém nascido.

3. Glicose em jejum

Exame de sangue que ajuda a rastrear o diabetes gestacional e acompanhar o seu tratamento ou controle. Deve ser feito no 1º e repetido no 2º trimestres de gestação.

4. Exame de sangue VDRL

Serve para diagnosticar a sífilis, que quando não é tratada, pode provocar surdez, cegueira ou problemas neurológicos no bebê. Deve ser feito no 1º e 2º trimestres de gestação, podendo ser necessário repetir no 3º.

5. Exame de sangue para HIV

O exame ajuda a diagnosticar o vírus HIV, que é o causador da AIDS, que pode ser transmitido para o bebê. Deve ser feito no 1º trimestre de gestação, podendo ser necessário repetir.

6. Exame de sangue para rubéola

O exame ajuda a diagnosticar a rubéola, que pode provocar problemas neurológicos ou retardo mental no bebê. Deve ser feito no 1º trimestre de gestação, podendo ser necessário repetir.

7. Exame de sangue CMV

Esse exame ajuda a diagnosticar a infecção pelo citomegalovírus, que pode provocar malformações no feto, como retardo mental. Deve ser feito no 1º trimestre de gestação, podendo ser necessário repetir.

8. Exame de sangue para Toxoplasmose

Serve para diagnosticar a toxoplasmose, que pode ser transmitida para o bebê, podendo causar atraso mental ou cegueira. Deve ser feito no 1º e 2º trimestres de gestação.

9. Exame de sangue para Hepatite B e C

Serve para fazer o diagnóstico das hepatites B ou C, sendo que o vírus pode ser transmitido para o bebê, podendo provocar parto prematuro ou bebê de baixo peso. Deve ser feito no 1º trimestre de gestação, podendo ser necessário repetir.

10. Exame de urina e urocultura

Exame para identificar a presença de infecção urinária, que quando não tratada, pode causar parto antes do tempo. Deve ser feito no 1º, 2º e 3º trimestre de gestação.

11. Ultrassom

O exame detecta a presença do embrião, o tempo da gravidez e a data do parto, os batimentos cardíacos do bebê, a posição, o desenvolvimento e o crescimento do bebê. Deve ser feito no 1º, 2º e 3º trimestres de gestação.

 

Além do exame de ultrassom convencional, também podem ser usados os exames de ultrassom em 3D e 4D, que permitem visualizar o rosto do bebê e identificar doenças.

12. Exame ginecológico e Papanicolau

O exame faz uma avaliação da região íntima da mulher para detectar infecções vaginais ou câncer do colo do útero. Deve ser feito no 1º trimestre de gestação.

A gravidez é o período de maior mudança no corpo, nos hormônios e no psicológico da mulher.

Como ocorre a gravidez semana a semana

Quando descoberta a gravidez, a mulher passa a contar os dias e meses, levando em consideração que o primeiro dia de gestação é o primeiro dia da última menstruação da mulher, e apesar da mulher ainda não estar grávida nesse dia, é esta a data considerada pelos profissionais de saúde, visto que é muito difícil saber exatamente quando a mulher ovulou e quando a concepção aconteceu.

 

A gestação completa dura em média 9 meses, e embora chegue até as 42 semanas de gestação, os médicos podem induzir o parto se o trabalho de parto não iniciar espontaneamente até as 41 semanas e 3 dias.

 

1 mês – Até as 4 semanas e meia de gestação

 

Aqui a mulher provavelmente ainda não sabe que está grávida, mas o óvulo fertilizado já se implantou no útero e o que mantém a gravidez é a presença do corpo lúteo.

 

2 meses – Entre 4 semanas e meia a 9 semanas

 

Nessa fase da gravidez, o feto já pesa de 2 a 8 g. O coração do bebê começa a bater com 6 semanas de gestação aproximadamente e, embora ele ainda seja semelhante a um feijãozinho, é nesta fase que a maioria das mulheres descobrem que estão grávidas.

 

Alguns sintomas como mal-estar e enjoos pela manhã são típicos desta fase e, geralmente, duram até o final do 3º mês de gestação. Eles são causados pelas mudanças hormonais e algumas dicas úteis são: evitar aromas intensos e descansar, pois o cansaço tende a aumentar os enjoos.

 

3 meses – Entre 10 e 13 semanas e meia

 

No terceiro mês da gravidez, o embrião mede quase 10 cm, pesa entre 40 e 45 g, e é nessa fase que começam a ser formados orelhas, nariz, ossos e articulações, e os rins passam a produzir urina. Ao final desta fase, o risco de aborto espontâneo diminui assim como os enjoos.

 

É nesse período que a barriga começa a aparecer e as mamas ficam cada vez mais volumosas, o que aumenta o risco de surgir  estrias.

 

4 meses – Entre 13 semanas e meia e 18 semanas

 

No 4° mês de de gravidez o bebê mede cerca de 15 cm e pesa cerca de 240 g. O bebê começa a engolir o líquido amniótico, o que ajuda a desenvolver os alvéolos dos pulmões, já chupa o dedo e as digitais já estão formadas. Sua pele fina é coberta pelo lanugo e, apesar das pálpebras dos olhos estarem fechadas, já nota a diferença entre a claridade e a escuridão.

 

Aqui é recomendado  fazer uma ultrassonografia morfológica que mostra o bebê aos pais de forma mais visível.  

 

5 meses – Entre 19 e 22 semanas de gestação

 

Aos 5 meses de gravidez o bebê costuma medir cerca de 30 cm e pesa cerca de 600 g. Ja tem braços e as pernas mais proporcionais ao corpo e ele fica cada vez mais parecido com um bebê recém-nascido. Nessa fase o bebê começa a ouvir os sons e particularmente a voz e as batidas do coração da mãe.

Aqui as unhas, dentes e sobrancelhas começam a se formar. A grávida poderá apresentar nessa fase uma linha mais escura que vai do umbigo à região genital e as contrações de treinamento podem aparecer.

 

 

6 meses – Entre 23 e 27 semanas

 

No 6° meses da gestação o bebê costuma medir entre 30 e 35 cm e pesar entre 1000 e 1200 g. Aqui ele começa a abrir os olhos, já tem uma rotina de sono e possui um paladar melhor desenvolvido. Sua audição está cada vez mais apurada e o bebê já pode perceber os estímulos externos, respondendo ao toque ou assustando-se com barulhos fortes.

Nesse período a grávida poderá notar com maior facilidade os movimentos do bebê, os famosos “chutes” e por isso acariciar a barriga e falar com ele pode acalmá-lo.

 

7 meses – Entre 28 e 31 semanas

 

Aos 7 meses o bebê costuma medir cerca de 40 cm e pesa cerca de 1700 g. Sua cabeça está maior e o cérebro está se desenvolvendo e expandindo e, por isso, as necessidades nutricionais do bebê estão cada vez maiores. O bebê se mexe com mais vivacidade e seus batimentos cardíacos já podem ser ouvidos com um estetoscópio.

 

8 meses – Entre 32 e 36 semanas

 

O nascimento do bebê está mais próximo. Aos 8 meses de gravidez o bebê costuma medir cerca de 45 a 47 cm e pesa cerca de 2500 g. Aqui começa a realizar movimentos com a cabeça de um lado para outro, os pulmões e o sistema digestivo já estão devidamente formados, os ossos tornam-se cada vez mais fortes, mas ele vai tendo menos espaço para se movimentar e, por isso, é normal a grávida perceber menos os movimentos do bebê.

 

Esta fase pode gerar bastante desconforto pois as pernas ficam mais inchadas e as varizes podem aparecer ou piorar e, por isso, é recomendado caminhar 20 minutos pela manhã para ajudar.

 

9 meses – Entre 37 e 42 semanas

 

Eis chegou o último mês da gestação. Aqui o bebê pode medir cerca de 50 cm e pesa entre 3000 a 3500 g. O bebê está completamente formado e nesse período só está ganhando peso. Nesse momento ele está próximo de  nascer, mas ele tem até as 41 semanas e 3 dias para vir ao mundo. Se as contrações não iniciarem espontaneamente até este período, o médico provavelmente terá que fazer um parto cesariana.

Quando o bebê nasce a mãe passa a continuar tendo mudanças no corpo ainda.

Quando ocorre o nascimento do bebê

Após 38 semana o bebê está pronto para nascer e  este o tempo mais comum de nascimento de uma gravidez saudável. Esse período portanto pode variar e o bebê pode nascer à partir das 37 semanas de gestação sem ser considerado pré-maturo, mas a gestação também pode durar até as 42 semanas, sendo uma situação normal.

Conclusão

A gravidez é um dos períodos mais importantes na vida da mulher, é onde ocorrem mudanças no corpo, no psicológico, nos hormônios e na vida social. Durante 9 meses caso seja uma gravidez saudável,  a mulher gera um feto dentro de si passando por várias fazer e várias mudanças desde o momento da concepção e até o nascimento do bebê.

 

Durante o período é importante fazer diversos exames e também se preparar para diversas mudanças, cuidados e com a chegada do bebê.

 

Se você tem sintomas e suspeita de estar grávida é importante fazer a confirmação o quanto antes para iniciar o Pré- natal. A  Cia da Consulta oferece todo um.suporte para você realizar o seu pré-natal com médicos de forma rápida e prática e barata para você cuidar da sua saúde é de seu bebê com todo conforto e bem-estar.  

 

Compartilhe esse artigo e ajude mais pessoas a saberem sobre o que acontece durante uma gravidez. Veja também mais textos com dicas de saúde que podem ajudar na sua qualidade de vida durante esse período tão único na vida de uma mulher e já para os cuidados com o bebê.