Postado por:

Catarata. Sintomas, diagnóstico, tratamento e cirurgia

Saiba tudo sobre a doença que pode prejudicar a visão

Você provavelmente já ouviu falar de catarata ou conhece que alguém que tem ou já fez uma cirurgia. Ela é uma lesão da visão que atinge e torna opaco o cristalino (lente transparente que fica atrás da íris e permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), passando a comprometer a visão.

 

A doença tem evolução lenta e pode afetar primeiro um dos olhos e só mais tarde o outro. Quando começa a comprometer a visão, é necessário fazer cirurgia. Aqui você vai saber mais sobre catarata, seus sintomas, tratamento e quando necessário operar.

 

Boa Leitura!

O que é Catarata?

A catarata é uma doença que atinge os olhos provocando opacidade do cristalino, a lente natural dos olhos. Pessoas que têm a doença  tem a visão embaçada e enxergar dessa forma tornam algumas tarefas do dia a dia mais difíceis como ler, dirigir um carro ou interpretar gestos e expressão das pessoas.

 

Segundo a Organização Mundial da saúde, a catarata é responsável por 51% dos casos de cegueira no mundo, atingindo o equivalente a cerca de 20 milhões de pessoas. A doença se desenvolve lentamente e não causa nenhum mal a visão desde o início.

 

No início, uma iluminação mais forte e o uso de óculos podem ajudar a lidar com a catarata. Mas quando a visão começa a ser prejudicada, passando a atrapalhar as atividades do dia a dia, é necessário fazer uma cirurgia.

 

Com o aumento da expectativa de vida da população, o número de pessoas com catarata e também a cegueira tende a crescer, por isso a importância de cuidar da saúde dos olhos.

Tipos

A catarata pode ser de vários tipos e entre eles estão:

Catarata relacionada à idade

catarata homem idoso mexendo no celular
O avanço da idade é um dos fatores que causam a catarata.

Ocorre devido ao envelhecimento e também pode ser chamada de catarata senil e pode ser dividida em três tipos, dependendo de sua localização:

 

  • Cataratas nucleares: formadas no centro da lente, tornam o núcleo do olho turvo ou opaco. Ocorre no centro do olho, que pode ficar com uma coloração amarela ou castanha;
  • Catarata cortical: aparece na forma de cunha e em volta das extremidades do núcleo;
  • Catarata subcapsular posterior: afeta a parte de trás da lente e ocorre mais rapidamente do que os outros dois tipos.


Catarata congênita

Esse tipo está presente desde o nascimento ou se forma durante o primeiro ano de vida de um bebê. É o tipo menos comum da doença, nem sempre apresenta sintomas e pode ser removida se ela interfere na visão do bebê.

 

A catarata congênita ministério da saúde pode se desenvolver se a mãe tiver uma infecção ou abusa de substância como drogas e álcool durante a gravidez. Costuma ocorrer em um a cada 5 mil nascimentos.

Catarata secundária

É quando pode ser causada por doenças, como o glaucoma e diabetes ou a partir do uso de medicamentos esteroides.


Catarata traumática

Esse tipo se desenvolve após uma lesão ocorrer no olho, embora possa levar vários anos após a lesão para que a doença aconteça.


Catarata de radiação

Pode se formar após um paciente passar por tratamento envolvendo radiação para tratamento de doenças como o câncer, por exemplo.

Causas

catarata casal de idosos sorrindo de maos dadas
Diabéticos são propensos a desenvolver a catarata, por isso a importância de cuidados e controle.


Ela ocorre quando a lente dentro do olho torna-se turva prejudicando a visão. Algumas coisas estão ligadas a essa turvação e incluem:

 

  • Envelhecimento (relacionada à idade);
  • Quando ocorre superexposição à radiação ultravioleta (UV), como da luz solar, cabines de bronzeamento ou solários;
  • Diabetes, especialmente quando os níveis de açúcar no sangue estão acima da faixa de segurança. A diabetes descontrolada provoca alterações no olho que podem levar à catarata;
  • Doença que ocorrem no interior do olho, como o glaucoma, retinite pigmentosa ou descolamento da retina;
  • Uso prolongado de medicamentos esteroides;
  • Fazer raios-X frequentes ou tratamentos de focados na cabeça;
  • Histórico familiar. Herdar a tendência para desenvolver catarata;
  • Vitrectomia (quando há remoção do gel vítreo do olho) em pessoas com mais de 50 anos de idade;
  • Lesão ocular;
  • Nascer com a doença.


Fatores de risco

Alguns fatores aumentam o risco de catarata e entre eles estão:

  • Idade
  • Diabetes
  • Ingerir álcool em excesso
  • Exposição excessiva à luz solar
  • Exposição à radiação ionizante, quando utilizada nos raios X e radioterapia para câncer
  • Histórico familiar de catarata
  • Pressão alta
  • Obesidade
  • Lesão ocular prévia ou inflamação
  • Cirurgia ocular anterior
  • Uso prolongado de medicamentos corticosteroides
  • Tabagismo

Sintomas de Catarata

catarata imagem embaçada
Visão nublada e confusa é um dos sintomas característicos da catarata.


Nem todas as cataratas prejudicam a visão ou afetam a vida diária. Mas alguns tipos podem fazer com que isso aconteça e os sintomas mais comuns são:  

 

  • Ficar com a visão nublada, confusa ou nebulosa;
  • Visão com brilho tipo de lâmpadas ou do sol;
  • Dificuldade de dirigir durante a noite devido ao brilho dos faróis;
  • Mudanças frequentes na prescrição de óculos;
  • Visão dupla;
  • Melhora da visão de perto que, em seguida, fica pior;
  • Dificuldade na realização de atividades diárias por causa de problemas de visão.

 

A catarata também pode se manifestar em bebês e crianças e os pais precisam ficar atentos para alguns sinais como:

 

  • A criança não olhar diretamente para um ponto ou não responder a rostos ou objetos grandes e coloridos;
  • A criança não conseguir encontrar pequenos objetos quando está engatinhando;
  • Quando a criança proteger os seus olhos com mais intensidade sob luz solar intensa. Isso acontece por causa do brilho refletido nos olhos causado por uma catarata;
  • Quando os olhos da criança estiverem desalinhados e não se concentrarem em um mesmo ponto ao mesmo tempo, isso caracteriza o chamado estrabismo;
  • Quando os olhos afetados tiverem movimentos errantes repetitivos, o chamado nistagmo.

 

Esses sintomas geralmente são um sinal tardio. Em bebês, alguns deles podem não se desenvolver até que o bebê atinja alguns meses. Remover a catarata nesses casos, provavelmente, não vai corrigir toda a perda de visão nesse ponto uma vez que já foi atingido.

Quando buscar ajuda médica?

É muito importante buscar ajuda médica o mais rápido possível se você sentir:

– Dor grave nos olhos;

– Mudança repentina na visão, como a perda de parte dela ou visão dupla.

 

Marque uma consulta com um oftalmologista para conversar sobre catarata se você:

  • Tem visão turva ou visão dupla, que se desenvolve lentamente;
  • Apresenta problemas para enxergar durante o dia por causa do brilho;
  • Têm dificuldade em dirigir à noite por causa de brilho dos faróis;
  • Têm problemas de visão que estão afetando sua capacidade de realizar atividades diárias;
  • Precisa mudar frequentemente a sua prescrição de óculos;

Pacientes na meia idade ou mais velhos, precisam falar com o médico quantas vezes é necessário fazer exames oftalmológicos de rotina.


Especialistas que podem diagnosticar catarata são:


Apesar de várias especialidades médicas serem capazes de detectar a catarata, só um oftalmologista pode tratar a doença. Fale com esse médico sobre a cirurgia para remover a catarata. Só ele pode garantir se você precisa ou não para evitar uma perda de visão mais grave no futuro.

Diagnóstico de Catarata

catarata oftalmologista fazendo exame em paciente
O diagnóstico da catarata é feito por meio de exames com um oftalmologista.


Para diagnosticar catarata, o oftalmologista irá analisar o histórico médico do paciente, bem como os sintomas e a partir de então realizar exames oftalmológicos. O médico pode realizar vários testes, incluindo:

Teste de acuidade visual
– Exame de lâmpada de fenda
– Exame de retina
– Oftalmoscopia
– Tonometria


Durante os exames oftalmológicos de rotina, o oftalmologista irá procurar por sinais precoces que mostram problemas de visão, incluindo a catarata.

Nas crianças, fazer teste para a catarata pode ser necessário. Se você acha que seu filho está tendo um problema de visão, procure um médico imediatamente.

Tratamento de Catarata

Alguns tratamentos podem ser necessários para a catarata e entre eles estão:


Cirurgia de catarata

catarata medico realizando uma cirurgia
A cirurgia da catarata é simples e é o meio mais eficaz de prevenir prejuízos à visão.


A cirurgia é o único método eficaz que permite tratar a perda de visão causada pela catarata. É um procedimento comum que envolve a remoção da lente turva do olho. Durante a cirurgia, a lente atingida pela catarata pode ser substituída por uma lente artificial, chamada implante de lente intraocular (LIO).

 

Por vezes, uma LIO não é usada, e o médico costuma receitar óculos ou lentes de contato que podem compensar.

Hoje em dia é mais difícil um médico esperar a doença progredir para operar. Já nos primeiros sintomas e com o diagnóstico precoce, o paciente já pode ser direcionado para a cirurgia de correção. Isso evita o avanço da doença para complicações permanentes, além de manter a qualidade de vida do paciente.

Algumas pessoas com catarata se dão muito bem com a ajuda de óculos, lentes de contato e outros auxílios visuais, podendo optar por não fazer a cirurgia.

A cirurgia é necessária quando uma catarata precisa ser removida devido a outra doença dos olhos, tais como a retinopatia diabética ou DMRI. Nesses casos, a catarata precisa ser removida para que o oftalmologista possa tratar a doença que esteja afetando a retina.

Em crianças, as opções para o tratamento dependem de como a doença passa a interferir interferindo no desenvolvimento da visão normal. Já para um adulto a necessidade da cirurgia depende do grau de perda de visão e se ela afeta a qualidade de vida do paciente.

Medicamentos

catarata mulher pingando colirio no olho
Colírios para dilatar a pupila podem ser receitados em casos iniciais.


Nem sempre a catarata requer o uso de medicamentos e um pequeno número de adultos e crianças podem se beneficiar por um curto período de tempo com

colírios que dilatam (ampliam) a pupila.

 

Eles costumam ser usados em gotas oculares que aumentam a quantidade de luz que entra no olho e por vezes são usados para ajudar a prevenir a perda de visão em crianças muito jovens que precisam esperar para fazer a cirurgia.

Convivendo com a catarata

Para um paciente conviver com os sintomas da catarata até a decisão por uma cirurgia, algumas medidas são importantes, como:

– Certificar se o uso de óculos ou lentes de contato podem ser a receita mais precisa possível para melhorar a visão;
Melhorar a iluminação da casa para facilitar a visão;

– Usar óculos de sol ou chapéu de abas largas para reduzir o brilho na visão causado pela luz do sol;  

 

Essas medidas de autocuidado podem ajudar por um tempo, mas a medida em que o problema avança, a visão pode se deteriorar ainda mais. Por isso a importância de considerar a cirurgia antes que a visão esteja muito comprometida.


Complicações possíveis

Ter catarata pode interferir nas atividades diárias e em casos mais graves pode  levar à cegueira quando não tratada ou não realizada a cirurgia. Algumas param de crescer e embora isso ocorra, elas não ficam menores por conta própria.

 

Fazer uma cirurgia para cataratas é um processo muito comum e é altamente eficaz em cerca de 90% dos casos, segundo o National Eye Institute (EUA).

 

Demais prejuízos à visão podem ocorrer caso você não procure um médico ao notar os sintomas e também ao fazer o uso de colírios, óculos e lentes sem a prescrição médica.

Prevenção

catarata diversos tipos de oculos em cima de uma folha
O uso de óculos pode ser recomendado para corrigir a catarata mas só deve ser usado com prescrição médica.


Não existe uma forma atestada de como prevenir cataratas ou retardar a progressão da doença. No entanto, algumas medidas são úteis para prevenir e tratar evitando problemas mais sérios para a visão. Entre eles estão:

– Fazer exames oftalmológicos regulares;
– Parar de fumar;

– Reduzir a ingestão de álcool;

– Usar óculos de sol;

– Tratar outros problemas de saúde, como glaucoma e diabetes;

– Manter o peso ideal

– Realizar uma dieta saudável, rica em vitaminas e minerais.

Conclusão

catarata casal de idosos sorrindo
É preciso sempre visitar um oftalmologista para cuidar da visão e prevenir doenças como a catarata.

Ela é uma doença que atinge a visão e é provocada pela opacificação parcial ou total do cristalino, a lente natural dos nossos olhos. Costuma ser bastante comum e atinge principalmente os idosos.  

A catarata costuma ter uma evolução lenta e progressiva, sendo, atualmente, a principal causa de perda de visão no mundo. Dentre a população com mais de 65 anos, quase metade dos indivíduos tem a doença.

A catarata é uma causa comum que pode provocar a cegueira, mas a doença tem cura e pode ser corrigida através de cirurgia, até mesmo em casos em que a doença já está avançada, os pacientes podem voltar a enxergar após a cirurgia.

Se você leu o artigo e se identificou com os sintomas acima, é importante consultar um médico. Na Cia. da Consulta você pode agendar com oftalmologistas e médicos de diversas especialidades de forma rápida e prática para cuidar da sua saúde com todo o conforto, rapidez e bem-estar. Repense a sua saúde!

Compartilhe esse artigo e ajude as pessoas a saberem mais sobre a Catarata. Veja também mais textos com dicas de saúde para aumentar a sua qualidade de vida e melhorar a sua saúde, leia aqui:

 

Doenças comuns no inverno. Como tratar e prevenir

Otite: Sintomas, tratamentos e causas

Soluço. O que é, causa e como parar